- Incerto ;


Quinta-feira , 28 de Junho de 2011

Meu amor ,
Escrevo-te esta carta , porque após momentos de reflexão cheguei a conclusão de que tens todo o direito , e mais algum de saber , o que está por dizer , mesmo que não percebas , todas estas palavras te pertencem de uma forma ou de outra , quer tu as aceites ou não .
Sei que nem sempre demos resposta ás expectativas que existentes a cerca de cada um de nós , mas nesta altura isso não é o mais importante ... A tua ausência preocupa-me , e de alguma forma desorienta-me , habituei-me á suavidade das tuas mãos , ao carinho delas , á força que me davam ... As palavras que me dizias ao ouvido , permaneciam ali , por muito e muito tempo .
Nas noites frias de inverno , eras tua que te deitavas a meu lado , fazias-me sonhar acordada , davas-me a conhecer o nosso amor ... Adorava quando me fazias cocegas , e os nossos olhares se cruzavam profundamente , beijavas-me e cada toque teu alimentava o nosso amor (...)
Nestes últimos dias , que ultrapassamos mais afastados do que nunca , eu sinto a falta de tudo o que conquistámos , sinto a falta do teu verdadeiro "eu" , que insistes em reservar , não quero que me protejas mais , nem que ampares todas as minhas quedas , esta falta de presença da tua parte dificulta determinados passos que são necessários dar , mas em parte , fico mais forte por isso , sinto obrigação de prosseguir sem ti , se não for mais por uma questão de honra , e porque valorizo o que ainda somos ...
O  importante agora não somos nós , sou eu , e és tu !
Á ventos e marés que não estão ao nosso alcance ...
Existem traços que ninguém apaga , memórias inesqueciveis , e tempos inagualáveis ... 
O incerto dominou o que hoje somos !

Despeço-me com todo o meu amor , Tita *

8 comentários:

" Só não erra quem nada faz ! "
Abre a alma á minha pouca sabedoria , e entrega-te ao pouco ou nada que me limito a escrever . ♥